Uma sonata, um livro e o efeito da música sobre nós

Confesso que sou novata no mundo da música clássica. Até poucos meses atrás, conhecia sobre música clássica o que quase todo mundo conhece, aquelas passagens mais famosas, as músicas de comerciais, músicas do filme Amadeus. O compositor que mais conhecia era Chopin, porque seus Noturnos me acompanharam em noites de insônia e acompanham meu filho … Continuar lendo Uma sonata, um livro e o efeito da música sobre nós

Frida Kahlo e a horda de zumbis, em busca da intensidade perdida

Ontem fui visitar a exposição “Frida Kahlo – conexões entre mulheres surrealistas no México”, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. Não sou uma grande conhecedora de pinturas e pintores. Costumava encarar esse tipo de arte como algo sofisticado e de bom gosto, aquele tipo de coisa “cult”, que as pessoas cultas e inteligentes gostam … Continuar lendo Frida Kahlo e a horda de zumbis, em busca da intensidade perdida

Porque é mesmo preciso sair da ilha para ver a ilha

Nunca compreendi tão bem esse conto do José Saramago do que hoje. O livreto chama-se “O conto da ilha desconhecida”. Ganhei esse livro há alguns vários anos, tinha lido na época, e recentemente o reli. A releitura mostrou-me aspectos que tinham passado quando o li da primeira vez, mas somente a vida real mesmo me … Continuar lendo Porque é mesmo preciso sair da ilha para ver a ilha

A linguagem como uma fotografia do mundo: a visão de Nietzsche

Li um texto recentemente em que a autora cita um conto de Ítalo Calvino no livro Os Amores Difíceis. Nesse texto, publicado na Obvious,  ela fala do conto de Calvino que, por sua vez, narra as aventuras de um fotógrafo. O texto fala sobre a “necessidade de reter os momentos através do registro fotográfico, na tentativa … Continuar lendo A linguagem como uma fotografia do mundo: a visão de Nietzsche

Caminhos

Existe um ditado que diz: todos os caminhos levam a Roma. No entanto, há caminhos e caminhos. Há caminhos curtos, longos, tortuosos. Há caminhos imaginários. Há caminhos aéreos. E há ainda as diferentes nuances do mesmo caminho. Quando fazemos sempre o mesmo caminho, acostumamo-nos tanto com ele que paramos de observá-lo. Vira “caminho da roça”. … Continuar lendo Caminhos